Pente Fino INSS: tudo que você precisa saber

Saiba o que fazer desde o momento da Convocação até o momento (se for o caso) da suspensão ou cancelamento do benefício.

O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) começou a convocar mais 520 mil beneficiários do auxílio-doença e da aposentadoria por invalidez para realizar a perícia médica. As convocações fazem parte de mais uma etapa do Programa de Revisão de Benefícios por Incapacidade (PRBI), o chamado pente-fino do INSS, que segue até o fim de 2018.

 

QUEM ESTA SENDO CHAMADO PARA A REVISÃO?

· Segurados que recebem auxílio-doença há mais de 2 anos;

· Aposentados por invalidez com menos de 60 anos e que recebem o benefício há mais de 2 anos (a exceção são aqueles com 55 anos ou mais e que recebem o benefício há mais de 15 anos)

COMO SABER SE FUI CONVOCADO?

Você pode saber se foi convocado:

1) Pelo Diário Oficial da União em 12 de abril, também é possível ver no site do “Diário Oficial” da União

2) Pelo telefone 135. Ao ligar, tenha em mãos o número do CPF (ou do PIS/Pasep) do segurado, o número do benefício, documentos pessoais (como RG), além de papel e caneta para fazer anotações

3) Os trabalhadores estão sendo chamados aos poucos, por meio de carta. A dica é manter o endereço atualizado para não perder a convocação

COMO AGENDAR A PERÍCIA?

O agendamento da perícia é obrigatório para todos os convocados e deve ser feito pelo telefone 135.

Tenha em mãos o número do CPF (ou do PIS/Pasep) do segurado, o número do benefício, documentos pessoais (como RG), além de papel e caneta para fazer anotações.

Quem recebeu a carta de convocação tem 5 dias úteis para agendar a perícia . O beneficiário que não fizer isso ou não comparecer na data agendada terá o benefício suspenso.

E PARA QUEM NÃO AGENDOU A PERÍCIA ATÉ O DIA 04 DE MAIO DE 2018?

Quem não agendou a perícia terá o pagamento suspenso, segundo o INSS. Depois disso, o beneficiário tem até 60 dias para marcar o exame. Se não procurar o INSS nesse prazo, o benefício será cancelado.

O QUE LEVAR NO DIA DA PERÍCIA MÉDICA?

Compareça na data e local agendado para perícia no INSS, munido dessa documentação:

1) ATESTADO MÉDICO DE INCAPACIDADE INDICANDO O CID DA DOENÇA (o segurado deve ir ao seu médico particular, e requerer);

2) EXAMES ATUALIZADOS QUE INDIQUEM A PERMANÊNCIA DA INCAPACIDADE;

3) LAUDO DETALHADO DA EVOLUÇÃO DA DOENÇA (se for o caso)

4) RECEITAS E EXAMES RECENTES

E SE O SEGURADO NÃO PUDER COMPARECER IR ATÉ UMA AGENCIA DE ATENDIMENTO DO INSS PARA REALIZAR A PERÍCIA?

Se a pessoa estiver internada ou doente e não puder comparecer à perícia deverá pedir a alguém de sua confiança que informe ao INSS, em uma de suas agências, sobre o impedimento.

Esse representante deve levar o documento de identidade do segurado e um documento que comprove que não tem como comparecer –um atestado médico, por exemplo. Com isso, ele poderá solicitar ao beneficiário uma perícia hospitalar ou domiciliar.

E SE O BENEFÍCIO FOR SUSPENSO OU CANCELADO? O QUE FAZER?

Antes de mais nada o segurado deve estar ciente que se a condição de incapacidade, que deu origem ao auxilio doença ou a aposentadoria por invalidez cessou e a capacidade laborativa foi restabelecida, seu benefício muito provavelmente será cancelado

Contudo se o segurado ainda permanecer inapto ao trabalho, tendo inclusive laudo de seu médico particular que reforce sua situação de inaptidão e mesmo assim o seu benefício for cancelado após a perícia ele terá algumas opções para restabelecer, seja o auxílio doença ou aposentadoria por invalidez e também algumas providências a tomar.

PROVIDÊNCIAS A SEREM TOMADAS… Ao realizar a perícia o segurado receberá a carta com o indeferimento, negativa, de seu benefício com um prazo de 30 dias para apresentar recurso administrativo.

A partir disso ele terá as seguintes opções:

1) Apresentar em 30 dias recurso administrativo juntando todos os laudos e exames médicos obtidos que comprovem a incapacidade laborativa, ou;

2) Ingressar com ação judicial;

Deverá se apresentar obrigatoriamente ao empregador, para que não configure abandono de emprego. Será requerido exame periódico de retorno.

Caso seja trabalhador autônomo imprescindível retornar o pagamento do INSS mensal.

Dica: O tempo em que recebeu auxílio doença e aposentadoria por invalidez conta como tempo de contribuição podendo assim somar-se ao tempo de serviço para avaliar a possibilidade de aposentadoria permanente. Lembrando que para que isso ocorra, será necessário que, imediatamente, após alta médica o segurado trabalhe por pelo menos 1 dia na empresa da qual estava afastado ou recolha 1 mês de carnê

 

 

Artigos

Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.

Deixe sua mensagem!

Entraremos em contato o mais breve possível!

Abra sua empresa!

Juntos trabalharemos pelo seu sucesso!

Migre sua empresa!

Tenha um escritório de contabilidade confiável ao seu lado!

Trabalhe Conosco

Faça parte da nossa equipe competente!

Anexar Currículo

Escolher Arquivo Nenhum arquivo selecionado

Dados Pessoais

Escolaridade

Cursos


Idiomas

Experiência Profissional

Pretensões

ajuda-chat
ajuda-chat
ajuda-chat_open